segunda-feira, 24 de julho de 2017

Portugal não é a Grécia

As fraudes eleitorais não se medem tanto pelo não cumprimento de uma série de promessas (de tão generalizada e de tão esperada, essa modalidade de fraude talvez já não sirva de argumento de deslegitimação). A nova fraude eleitoral – mais impressionante e mais perigosa – é-nos revelada pela adesão disfarçada ao essencial do programa combatido e de cujo combate nasceu o mandato ou a legitimidade para governar.
Podíamos falar de Portugal (expressões como «fim da austeridade», «virar de página» ou «fim da obsessão pelo défice» soam-nos e ressoam-nos na cabeça, transpiram reserva mental e não colhem no confronto com a prática se estivermos disponíveis para a avaliar desapaixonadamente). Sobram operações superficiais de cosmética (cada vez menos eficazes) e uma generosa paciência (para não dizer conivência), das instituições e da comunicação social.

É a esta luz que a entrevista ao Guardian de Alex Tsipras, do Syriza (o irmão grego do BE) é especialmente eloquente. E só surpreende pela franqueza (essa sim, nada comum, em contraste com o costumeiro disfarce e reserva mental). Nesta entrevista, Tsipras não apenas reconhece a sua impreparação e os grandes erros que cometeu, como enfrenta a ligeireza do seu «plano B», a ilusão de uma Grécia isolada, fora da Europa e do Euro. E, no fundo (em jeito de mea culpa) assume o cumprimento de um programa que não tem nada a ver com o que apresentou ao eleitorado e que corresponderia, sem grandes diferenças, ao seguido pelo partido «deposto».
Acaba por ser extraordinário que, apesar da estrondosa e confessada fraude eleitoral, Tsipras não se coíba de se exibir «peito feito» porque – é essa a razão do seu orgulho – a ele ninguém o poderá acusar de corrupção, desonra ou aproveitamento dos recursos do Estado.
É esta a frase:
«Se for à rua e perguntar sobre o governo, muitos podem dizer ‘mentirosos’, mas ninguém vai dizer que somos corruptos ou desonrosos ou que colocámos a mão no pote de mel».

«Portugal não é a Grécia». É o que se diz…

#Escritório