segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

A sedutora e irresistível Universidade de Coimbra?

Quando estamos em Coimbra percebemos quanto é esforçada a «tradição» noutros lugares.
E percebemos como é invejável – porque com sentido, com significado e com estética – a solenidade dos seus momentos. Um doutoramento, uma serenata monumental ou mesmo umas exéquias fúnebres de um dos seus merecem o adorno que só em Coimbra nos parecem equilibrados, simples e naturais. A começar pelos seus espaços e lugares.
Quando ao lado desta dignidade singular há também – convém reconhecer – o lastro e a qualidade científica, perguntamo-nos como é possível que Coimbra não seja sedutora e irresistível. Como é possível?
Aos olhos de qualquer estudante – e do próprio mercado – Coimbra deveria representar uma espécie de lugar de sonho.
Mal comparado (ou talvez não) alguém preferiria estudar em Dallas se pudesse estudar em Harvard? Ou em Manchester em lugar de Oxford ou Cambridge?
É que a preferência pelo Porto, por Lisboa ou por Braga (como tantas vezes acontece em Portugal) é quase incompreensível num país em que há Coimbra.
Nos dias que correm fico com a sensação de que Coimbra não sabe ou não consegue apresentar-se aos estudantes e ao mercado tão sedutora e irresistível como de facto é.


PS. Não sou nem estudei em Coimbra.

#Saladeestar